Conferência Internacional Anticorrupção sobre Parceria Público-Privada realizada em cooperação com a Controladoria Geral da República do Chile

14.06.2017

Santiago de Chile, Chile

© Comptroller's General of the Union

No contexto da Semana de Integridade no Chile, a Alliance for Integrity, em conjunto com a Controladoria Geral da República do Chile e com o apoio da Câmara Alemã-Chilena da Indústria e Comércio (CAMCHAL), organizou uma Conferência Internacional de combate à corrupção com o tema "Parceria público-privada na luta contra à corrupção". O evento contou com 300 participantes de diferentes países da América Latina, como Argentina, Brasil e Uruguai. Outros 200 participantes se juntaram via streaming online. O objetivo do evento foi discutir e identificar exemplos nacionais e internacionais de melhores práticas para combater a corrupção no setor privado e público.

O evento foi aberto pelo Controlador Geral da República do Chile, Jorge Bermudez Soto, e pelo Diretor da Alliance for Integrity, Noor Naqschbandi, que deu as boas vindas aos participantes no evento. Durante sua declaração inicial, Noor Naqschbandi focou na importância da rede na América Latina para a Alliance for Integrity. A Alliance for Integrity é ativa em sete países latino-americanos, nos quais seus parceiros e apoiadores locais mostram grande comprometimento e propõem ideias inovadoras para combater a corrupção. A Alliance for Integrity recebeu um feedback positivo de seus parceiros e clientes, o que mostrou que as atividades e ferramentas são vistas como úteis. Ele encerrou seu discurso destacando a importância da cooperação entre as partes interessadas e ressaltou que a conferência foi um bom exemplo para o diálogo, o qual é necessário para trocar experiências e apoiar-se mutuamente na luta contra a corrupção.

Ambos, o Sr. Bermudez Soto e o Sr. Naqschbandi participaram do painel seguinte sobre "Transparência e Anticorrupção: Riscos e Desafios na América Latina". Eles foram acompanhados por Dalma Parisi, Diretora Regional de Compliance da Siemens S.A .. Na apresentação de abertura do painel, Noor Naqschbandi deu ênfase a um tópico chave para a Alliance for Integrity, a mudança necessária na cultura visando combater a corrupção nas suas raízes. O programa de treinamento da iniciativa De Empresas Para Empresas (DEPE) e o processo de digitalização - especialmente o movimento aberto de dados - são ferramentas que podem auxiliar essa mudança em direção a uma cultura de integridade. Ele também afirmou que a América Latina é um exemplo impressionante de motivação e dedicação para possibilitar uma mudança cultural a esse respeito.

Antes do almoço, ocorreu o painel: "Exemplos de boas práticas na região". Durante a discussão, três instituições públicas da América Latina compartilharam exemplos de boas práticas e discutiram sobre como é possível aumentar a cooperação através de uma abordagem regional. Esses especialistas foram Renato Capanema, Diretor de Promoção da Integridade e Cooperação Internacional no Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União do Brasil (CGU), Leila Insaurralde, Chefe do Departamento de Gestão Anticorrupção da Controladoria Geral da República Do Paraguai e Dorothy Pérez, vice-controladora geral da República do Chile. Eles foram acompanhados por Roberto Mendeson, Diretor Subregional de Compliance do Grupo Merck, que compartilhou o ponto de vista do setor privado e apontou o papel que o setor privado desempenha na luta contra à corrupção, bem como Andrea Rondot, da Deloitte, que moderou a discussão.

Após o intervalo, uma discussão sobre "Ferramentas de Prevenção à Corrupção" entre Juan Ignacio Belbis, Investigador da Iniciativa Latino-Americana Dados Abiertos, Verónica Cid, Coordenadora de Anticorrupção no Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Chile e Álvaro del Barrio, Diretor de Compliance e Segurança Operacional do Banco Estado. Alberto Zink, consultor jurídico da Bayer S.A. moderou a discussão. No último dos quatro painéis, "Cooperação pública, privada e da sociedade civil", Susana Sierra, Fundadora da BH Compliance e Diretora do Chile Transparente, Rodrigo Mora, Secretário Executivo da Comissão sobre Probidade e Transparência, Ministério Secretaria-Geral da Presidência No Chile, e Mauricio Duce, presidente executivo do espaço público, compartilharam seus conhecimentos. Os três oradores observaram a importância da ação coletiva em relação à transparência. Flavio Fuertes, Diretor do Pacto Global Argentina, moderou esta discussão final.

Em suas palavras de encerramento, Jorge Bermudez Soto agradeceu aos participantes e parceiros pelo envolvimento e engajamento e aos participantes por suas perguntas e contribuições.

Mais informações (em Espanhol) e as apresentações da conferencia se encontram aqui.

 
Este site utiliza cookies. Você pode saber mais sobre seus direitos e como evitar cookies em nossa política de proteção de dados. Schließen