Transações financeiras

Possível cenário

Você está participando de uma licitação de um contrato importante com o governo em um ambiente altamente competitivo. Sua empresa precisa desesperadamente conseguir esse contrato para atingir sua meta de receita para o ano. Perder o negócio provavelmente acarretará em menor remuneração individual. Por medo de tais impactos, seu executivo de vendas se dirige a um membro sênior do comitê de compras e uma grande soma de dinheiro para garantir a contratação da sua empresa.

I. Compreendendo o risco

 
 
  • Em termos simples, suborno ocorre quando um colaborador dá, oferece ou mesmo simplesmente promete um benefício indevido como um incentivo para um comportamento inapropriado. Por exemplo, seu gerente de vendas talvez dê um presente caro a um servidor público para ajudar a garantir um contrato importante.
  • Também ocorre suborno quando um colaborador solicita ou aceita um benefício indevido por meio de um comportamento inapropriado. Por exemplo, seu gerente de compras talvez aceite um pagamento em dinheiro oculto oferecido por um fornecedor em troca de um tratamento favorável em uma grande licitação.
  • Um benefício indevido como este pode ser tanto financeiro (dinheiro ou transação bancária) como não-financeiro (por exemplo, um presente ou uma viagem).
  • Devido ao aumento da conscientização ao redor do mundo de que suborno é ilegal, grandes benefícios financeiros são cada vez mais substituídos por benefícios “amáveis”, como presentes, hospitalidade ou doações.
  • Porém, o risco de benefícios financeiros permanece intacto em economias que se baseiam em transações em dinheiro.

II. Reconhecendo desafios práticos

 
 
  • Apesar da reprovação crescente, ainda existe entre alguns colaboradores a percepção de que a corrupção oferece oportunidades a médio e a longo prazo ou algo similar para a condução dos negócios.
  • Políticas anticorrupção claras, visíveis e acessíveis talvez não sejam suficientes para dissuadir colaboradores de se envolverem com suborno por vários motivos, incluindo:
    1. Existe a percepção de que a quantia do pagamento oferecido é pequena comparada com o que se pode ganhar (por exemplo, o valor do contrato);
    2. A remuneração em particular do colaborador pode estar ligada a fechar o contrato (por exemplo, bônus de vendas);
    3. As oportunidades de licitação no mercado talvez não sejam frequentes e de grande valor. Pode prevalecer a percepção de que “todo mundo está fazendo o mesmo”.

III. Mitigando o risco

 
 

Uma política empresarial clara, visível e acessível que proíba todas as formas de suborno deve servir de base para um programa anticorrupção. Esta política tem que estar pautada no entendimento do perfil de risco específico de uma empresa. Além disso, garantias práticas para mitigar o risco de transações financeiras usadas indevidamente para conceder subornos incluem:

  • Aplicar a “regra de duas pessoas” (ou seja, requer-se a aprovação por parte de pelo menos dois colaboradores) no momento de consentir transações financeiras críticas, como compensações para agentes.

Casos de treinamento

Um cliente exige uma “taxa de fechamento” no último minuto para fechar um negócio que agora já é tarde demais para perder. [RESIST, Cenário 6]

Um fornecedor oferece um suborno a um gerente de contratos para deixar passar bens ou serviços inferiores “fora das especificações” [RESIST, Cenário 20]

Um representante de clientes exige uma cota que não tinha sido negociada previamente como condição para fazer uma alteração no contrato [RESIST, Cenário 21]

Leituras recomendadas

“How To Bribe – A Typology Of Bribe-Paying And How To Stop It”, Seção 1.1

"RESIST: Resisting Extortion and Solicitation in International Transactions"